BankersVille é um jogo em que, como na maioria, há gente bom e gente má. Quem joga, como também acontece na maioria dos outros games, tem a missão de proteger os bons dos maus. E por aqui, quem faz o papel de mau são senhores de terno e gravata, funcionários de bancos, que querem desalojar a população de suas casas. É um jogo disponível apenas para o sistema Android, mas já é um começo: e é uma crítica à economia atual.

O app, que pode ser baixado aqui, pede que ajudemos aos afetados pelos desalojamentos não só na ficção, mas também na vida real. Pelo menos é o que ele promete, ao enviar metade da arrecadação a uma organização chamada de Plataforma de Afetados pelas Hipotecas.

"Não entendo como salvamos a bancos com nossos importos enquanto a cada dia centenas de pessoas são desalojadas", diz o criador do jogo, Bernat Casanovas, que integra a equipe de La Factoría, um estúdio dedicado a conteúdos educativos interativos.

"Tínhamos de fazer algo. E tínhamos de fazer com humor. Porque às vezes precisamos rir. Ou você ri, ou você explode. Não rir e levar tudo muito a sério não serve mais do que para desanimar-se. E a partir do desânimo, não se muda nada", completa Casanovas.

 

.

 

Bankersviller nos leva a 2020. O endereço é o jogador quem escolhe. São 40 cidades, entre elas São Paulo, Madri, Seul e Xangai. O mundo é dominado por um grande imrão formado por uma elite poderosa. O resto é o resto. Para o azar de quem joga, ele integra este resto. No jogo, a população vive em relativa calma, apesar de ter perdido tudo. Mas o grupo é descoberto e, então, os bancários vêm cobrar as dívidas.

 

 

Bankersville não é uma tentativa de sensibilizar por meio de um jogo.

"É um jogo com horas de diversão, superando vários níveis, lutando contra os mais diversos inimigos e com as armas mais absurdas", afirmam os criadores.