The Doors também é app, graças ao trabalho da lenda da indústria fonográfia Jac Holzman, hoje com 81 anos e que foi um dos primeiros a trabalhar com a banda norte-americana. É dele o conceito e o projeto do aplicativo, que só funciona para iPad. 

O material do Doors aparece recompilado e com um design bonito. Para acessá-lo, é preciso pagar pouco menos de R$ 15.

"Sempre me interessei em como usar a tecnologia a serviço da música. É o que fiz desde os primeiros dias da Elektra (gravadora de onde saiu o primeiro disco do Doors). Como podemos gravar melhor? Nem todos aprovarão tudo o que está no app, mas estou seguro de que a maioria, vai", afirmou Holzman em entrevista ao jornal The New York Times.

A home da aplicação remete a uma mesa de som, e basta abrir o canal para viajar pelas próprias músicas (pena que muitas delas estejam disponíveis por apenas alguns segundos), navegar pela biografia da banda e conhecer a versão oficial sobre o "caso de Miami", um episódio de 1969 em que Jim Morrison teria supostamente mostrado seus órgãos sexuais a uma plateia em êxtase. Ele negou o fato, embora tenho sido preso pelos tais atos obscenos. Agora, no iPad, a história é contada por meio de uma história em quadrinhos.

O app tem 227 fotos, 112 criações para os álbuns do grupo e seis curtas.